Destralhe-se - um texto que inspirou minha vida

Esse texto antigo do arquiteto Carlos Solano na revista Bons fluídos foi minha grande inspiração para cuidar dos ambientes, quero apresentar ele pra você!

Desde bem novinha (uns 13 ou 14 anos) eu gostava de comprar a resvista Bons Fluídos todos os meses, ficava apaixonada por tudo, desde as práticas meditativas, de yoga, as páginas sobre alimentação, objetos de decoração e a coluna do Carlos Solano, que falava sobre a energia da casa.


Claro que a revista me influenciou tanto que lá fui eu com 15 anos entrar na formação de Naturopatia onde eu aprendi ainda mais sobre todo esse universo.

Cuidar da energia dos ambientes é algo que eu amo tanto que desse amor nasceu também muitos produtos do Flor (minha empresa de produtos vibracionais > conheça AQUI ), minhas imersões, textos daqui do blog e até um curso incrível que esta no forninho (spoiler).


Esse texto que vou compartilhar com vocês eu postei no meu primeiro blog em 2013 e gostaria de trazê-lo novamente pois ele é atemporal, e claro, tem TUDO a ver com a lua minguante - propósito da série "Escrevendo com a lua" que inclusive esse já é o sexto post. Aproveite!


Destralhe-se de Carlos Solano

"Bom dia, como tá a alegria"?, diz dona Francisca, minha faxineira rezadeira, que acaba de chegar. -"Antes de dar uma benzida na casa, deixa eu te dar um abraço que preste!" e ela me apertou.


Na matemática de dona Francisca, "quatro abraços por dia dão para sobreviver, oito ajudam a nos manter vivos, 12 fazem a vida prosperar". Falando nisso, "vida nenhuma prospera se estiver pesada e intoxicada". Já ouviu falar em toxinas da casa?


Pois são objetos e roupas que você não gosta ou não usa, coisas feias ou quebradas, velhas cartas, plantas mortas ou doentes, recibos, jornais e revistas antigos, remédios vencidos, meias e sapatos estragados... Ufa, que peso!


"O que está fora está dentro e isso afeta a saúde", aprendi com dona Francisca.- "Saúde é o que interessa. O resto não tem pressa"!, ela diz, enquanto me ajuda a 'destralhar', ou liberar as tralhas da casa.


O 'destralhamento' é uma das formas mais rápidas de transformar a vida e pode muito bem ajudar outras terapias."


A saúde melhora, a criatividade cresce e os relacionamentos se aprimoram", também ensina o feng shui, com a delicadeza própria das artes orientais. Para o feng shui, é comum se sentir cansado, deprimido ou desanimado em um ambiente cheio de entulho, pois "existem fios invisíveis nos ligando àquilo que possuímos". Outros possíveis efeitos do acúmulo e da bagunça: sentir-se desorganizado, fracassado e limitado, aumento de peso, apego ao passado...


"No porão e no sótão, as tralhas viram sobrecarga; na entrada, restringem o fluxo da vida; empilhadas no chão, nos puxam para baixo; acima, são dores de cabeça; sob a cama, poluem o sono".


Então... Se dona Francisca falou e o feng shui concordou, nada de moleza!

-"Oito horas para trabalhar, oito para descansar, oito para se cuidar!", diz a comadre. -E nada de limpar só por onde o padre passa..."DESTRALHE-SE!"


Perguntinhas úteis na hora de liberar os armários: Por que estou guardando isso? Será que tem a ver comigo hoje? O que vou sentir ao liberar? E vá fazendo pilhas separadas de doar, vender e jogar fora. Depois de destralhar, jogue sal grosso nos ralos. Ponha um prato com carvão no quarto (tira os cheiros e as energias ruins). Deixe um ramo de boldo em um copo d'água para purificar. Passou de bom! Para destralhar mais, livre-se de barulhos e luzes fortes, cores berrantes, odores químicos, revestimentos sintéticos, libere mágoas, pare de fumar, diminua o uso da carne, termine projetos inacabados.


"Se deixas sair o que está em ti, o que deixas sair te salvará. Se não deixas sair o que está em ti, o que não deixas sair te destruirá", arremata o mestre Jesus, no evangelho de Tomé.


"Acumular nos dá a sensação de permanência, apesar de a vida ser impermanente", diz a sabedoria oriental. O Ocidente resiste a essa ideia e, assim, perde contato com o sagrado instante presente. Dona Francisca me conta que "as frutas nascem azedas e, no pé, vão ficando docinhas com o tempo".


- A gente deveria de ser assim, ela diz.

- "Destralhar ajuda a adocicar."


Com amor

Carol

IMG_20200917_153322_391_edited.jpg

Olá, que bom ver você por aqui!

Eu sou a Carol e por aqui compartilho com você o que aprendi e vivo diariamente sobre autoconhecimento, cuidados holísticos e desenvolvimento pessoal.

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest